Angústia do Diabetes: Sentimentos e Emoções

Receber o diagnóstico de uma doença abala o emocional de qualquer pessoa, não é mesmo?

Fonte: www.diabetesmedicalhealthcare.com

Escrito por: Dra Elaine Ciocler Trahtenberg

Angústia do Diabetes: Sentimentos e Emoções

O diabetes é uma doença crônica de causa multifatorial, podendo inclusive ter um componente psicossomático, ou seja, relacionado às emoções do indivíduo.

A maneira como a mente funciona, equilibrando razão e emoção, está diretamente relacionada com a evolução do diabetes. Em muitos casos ocorre o sentimento de rejeição da doença, às vezes inconscientemente, fazendo com que a pessoa não seja capaz de cuidar das várias responsabilidades exigidas para manter os níveis de açúcar do sangue sob controle.

Assim, o sucesso do tratamento depende, além da mudança do estilo de vida, do paciente conseguir manter o equilíbrio emocional!

A angústia do diabético é a resposta ao fato do paciente ter que lidar com uma doença crônica e pode reunir sinais de ansiedade, depressão e stress, podendo estar relacionada ao medo de não conseguir um tratamento adequado, ao fato de se sentir doente e à sensação de não ser compreendido.

 Sentimentos envolvidos

  • Negação: receber o diagnóstico de uma doença crônica como o diabetes pode ser um choque e o normal é que haja um sentimento de descrença e negação da nova realidade. No entanto, agir como se a doença não existisse ou minimizando a sua gravidade pode comprometer o sucesso do tratamento, porque se você não reconhecer que a partir deste momento precisará de cuidados especiais, muita força de vontade e disciplina, perderá a chance de controlar a doença e ter uma vida de qualidade.
  • Medo: tudo que nos é desconhecido nos traz medo e a maneira mais efetiva de afastá-lo é buscar por informação sobre a doença, seus sinais e sintomas, suas complicações e formas de tratamento, para conseguir conviver bem com o diabetes.
  • Tristeza: a sensação de desânimo e tristeza é comum no diabetes, mas não deixe que ela te domine, procure conversar a respeito com outras pessoas que têm diabetes, familiares e amigos.
  • Raiva: o sentimento de raiva é natural quando a pessoa recebe o diagnóstico de diabetes, mas é importante entender que não existe culpados para esta nova realidade e que você o único a passar por isso. O melhor a fazer é aceitar e tomar o controle da situação.
  • Depressão: a depressão ocorre em aproximadamente 20% dos portadores de diabetes, principalmente nas mulheres, como resultado da interação entre fatores psicológicos, físicos e genéticos. A depressão está associada ao controle glicêmico inadequado e a um aumento no grau de complicações do diabetes, sendo interessante que o paciente realize sessões de psicoterapia, podendo, em alguns casos, ser necessário também o uso de medicamentos antidepressivos.

   Sintomas: perda de interesse e prazer pelas coisas, mudança         no padrão do sono: insônia ou sono excessivo, alteração do           apetite: ganho ou perda de peso, problemas de concentração,       sensação de cansaço constante sensação de tristeza,                nervosismo e ideias suicidas.

Conheca Viva Zero
  • Ansiedade: o diabetes pode gerar ansiedade, tensão e stress pela necessidade de aprender a administrar uma doença crônica, com mudança do estilo de vida e controle rigoroso dos níveis de glicose no sangue. A ansiedade é muito comum em relação às injeções de insulina, no caso do diabetes tipo 1, e pelo medo da hipoglicemia. O tratamento é feito com psicoterapia e medicamentos específicos.

Fique atento: a má interpretação de alguns sintomas de hipoglicemia como sendo ansiedade pode prejudicar a rápida correção exigida pelas baixas taxas de glicemia!

Sintomas: inquietação e falta de paciência, dificuldade de se concentrar, fadiga, insônia, irritabilidade, palpitações e falta de ar, dores no estômago e diarreia, dores de cabeça frequentes, tensão muscular, nervosismo e  transpiração excessiva.

  •  Resistência psicológica à insulina: Se o controle da diabetes está difícil, o médico pode receitar insulina, mas muitas pessoas resistem a essa ideia e às vezes até se recusando a aplicá-la.

Não se esqueça: O controle do diabetes também depende do seu controle emocional, pois qualquer sentimento angustiante pode elevar as taxas de glicemia.

Cuidados a serem tomados

Faça um plano com metas claras e realistas, e cada passo alcançado já será uma conquista;

  • Cuide da sua alimentação;
  • Comece a realizar atividade física, que além de ajudar no controle do diabetes, faz com que seu corpo libere o hormônio do bem-estar, a serotonina, diminuindo a ansiedade;
  • Envolva sua família e amigos, que também podem de beneficiar desse novo estilo de vida, mais saudável;
  • Faça o monitoramento do seu nível de glicemia regularmente para evitar complicações;
  • Use as medicações nos horários corretos;
  • Mantenha seu equilíbrio emocional e não se sabote, o mais prejudicado será você mesmo!

E você como está se sentindo hoje?

O site Diabete.Com.Br avisa: As informações contidas neste site não se destinam ou implica a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Todo o conteúdo, incluindo texto, gráficos, imagens e informações, contidos ou disponíveis através deste site são apenas para fins informativos gerais. As opiniões expressas aqui são as opiniões de escritores, colaboradores e comentaristas, e não são necessariamente aqueles de Diabete. Com.Br. Nunca desconsidere o conselho médico profissional ou demorem a procurar tratamento médico por causa de algo que tenha lido ou acessado através deste site.