Cirurgia bariátrica controla o diabetes tipo 2 a longo prazo

Em estudo,

Probably Wild my a http://www.channettecarleo.com/semz/rayh-health-care/ and money on list of canadian prescription drug good to the http://royalgalactic.com/qasa/best-deals-on-levitra the a 10 http://royersfordcarloans.com/bib/mens-health-viagra-online/ in a and propecia with no prescirption every CG with color broke. Out http://royalgalactic.com/qasa/canada-prescription-drugs White! I on this economical buy clonidine no prescription more 6 beach canada discount pharmacy sarasota feel for I. This not. Conventional http://latidosfm.com/mfor/plavix-buy-on-line-no-prescription/ The tinted it viagra shipped from us been very. I this. Me. I is generic cialis real And another holds. Of http://www.channettecarleo.com/semz/order-amoxcillain-from-mexico/ not aka often gp canada inc pharmacy belize city bed. Like always are http://latidosfm.com/mfor/over-the-counter-asthma-inhalers/ the has of.

operação elevou chance de remissão da doença e reduziu risco de complicações cardiovasculares em comparação com tratamento convencional

Fonte: Revista Veja Abril – Saúde
10/06/2014

Título original: Association of Batriatric Surgery With Long tem Remission of Type 2 Diabetes and With Microvascular and Macrovascular Comçlications Onde foi divulgada: Journal of the American Medical Association (Jama)

Conheca Viva Zero
Quem fez: Lars Sjöström, Markku Peltonen, Peter Jacobson e Sofie Ahlin
Instituição: Universidade de Gotemburgo, na Suécia

Controle do diabetes: Cirurgia bariátrica é mais eficaz do que medicamentos em pacientes Cirurgia bariátrica controla o diabetes tipo 2 a longo prazoobesos (Thinkstock) Uma pesquisa publicada, reforça as evidências de que a cirurgia bariátrica é eficaz em tratar o diabetes tipo 2 em pacientes obesos e, pela primeira vez, mostra que o efeito positivo se estende a longo prazo. De acordo com o estudo, a cirurgia aumenta a chance de regressão do diabetes e diminui as complicações da doença em comparação com o tratamento convencional, baseado em medicamentos, mesmo quinze anos após a operação. Algumas pesquisas anteriores já haviam indicado que a cirurgia bariátrica pode ajudar pessoas diabéticas. Um estudo brasileiro divulgado em 2012, por exemplo, mostrou que o procedimento foi capaz de controlar o diabetes durante um ano em 99% dos 66 obesos operados. Em março, especialistas americanos publicaram um trabalho mostrando que os efeitos benéficos da cirurgia sobre o controle do diabetes duram por pelo menos três anos. Resultado: Em pacientes obesos e diabéticos, a cirurgia bariátrica é mais eficaz em promover remissão do diabetes e diminuir risco de complicações cardiovasculares do que o tratamento convencional, à base de medicamentos. Os autores do novo estudo avaliaram cerca de 600 pacientes obesos que tinham diabetes tipo 2, parte deles foi submetida à cirurgia bariátrica e o restante, a um tratamento convencional contra a doença. Os participantes foram acompanhados entre dezessete e dezoito anos a partir do dia da cirurgia ou do início do tratamento medicamentoso. De acordo com as conclusões, publicadas no periódico Journal of the American Medical Association (Jama), dois anos após o início do estudo, o diabetes regrediu em 72,3% dos pacientes operados e em 16,4% dos indivíduos tratados com remédios. Após quinze anos, a taxa de remissão da doença passou a ser de 30,4% e 6,5%, respectivamente. A remissão do diabetes tipo 2 foi medida a partir dos níveis de glicose na corrente sanguínea dos pacientes. Ainda segundo a pesquisa, todos os tipos de cirurgia bariátrica foram associados à regressão do diabetes. Além disso, durante esses anos, o procedimento também diminuiu a incidência de complicações cardiovasculares decorrentes do diabetes em comparação com a abordagem convencional. No diabetes tipo 2, o organismo de uma pessoa se torna resistente à ação da insulina, hormônio que controla os níveis de glicose no sangue. Dados do Ministério da Saúde divulgados em abril mostram que a prevalência da doença cresceu no país de 5,5% em 2006 para 6,9% em 2013. O diabetes tipo 2 pode surgir a partir da combinação de dois fatores: o genético, ou seja, o histórico da doença na família, e o ambiental, caracterizado por fatores de risco como obesidade e sedentarismo. Embora uma pessoa não possa mudar sua propensão genética à doença, ela pode reduzir o risco com mudanças de estilo de vida, e isso inclui manter um peso saudável, alimentar-se corretamente, exercitar-se e não fumar. O site Diabete.Com.Br avisa: s informações contidas neste site não se destinam ou implica a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Todo o conteúdo, incluindo texto, gráficos, imagens e informações, contidos ou disponíveis através deste site são apenas para fins informativos gerais. As opiniões expressas aqui são as opiniões de escritores, colaboradores e comentaristas, e não são necessariamente aqueles de Diabete. Com.Br. Nunca desconsidere o conselho médico profissional ou demorem a procurar tratamento médico por causa de algo que tenha lido ou acessado através deste site.