Interações entre álcool e remédio

interações entre alcool e remedioA dose da maioria dos medicamentos precisa ser medida cuidadosamente. Isto deve ser feito porque a maioria dos medicamentos tem uma margem pequena de segurança. Uma dose apropriada de remédio pode ser a salvação de uma vida, mas uma overdose pode ser uma ameaça à vida.

Medicamentos também interagem com outros medicamentos. Mesmo substâncias que não são consideradas como medicamentos, mas como alimentos, como suco de grapefruit, podem interagir com medicamentos, afetando a maneira deles serem absorvidos e metabolizados pelo corpo. É essencial entender as doses e as interações dos medicamentos, principalmente em casos de uma doença tão complexa como diabetes.

O álcool é uma droga – a mais usada em todo os Estados Unidos. A “margem de segurança” para o álcool é estreita – pessoas que consomem uma ou duas bebidas alcoólicas por dia podem ter um risco reduzido de ataque do coração e diabetes tipo 2. Todavia, uma dose dupla de álcool – para quatro bebidas ao dia – o risco de hipertensão, derrame, doença no fígado, e acidentes de carro, sobe.

Conheca Viva Zero

Pessoas que bebem regularmente grandes quantidades de álcool desenvolvem uma “tolerância” ao álcool – o álcool causa mudanças nas células e nas enzimas do fígado de maneira que o álcool é penetrado prontamente, metabolizado, e desintoxicado.

Porém, muitos não toleram o álcool devido à sua formação genética. Por exemplo, acima de 40% das pessoas descendentes de asiáticos têm uma variação nos genes das células do fígado que faz com que o álcool seja metabolizado bem devagar. Esse metabolismo lento leva à formação da falha de derivados do metabolismo do álcool, chamada acetaldeído.

Níveis altos de acetaldeído são tóxicos, e ocasionam um rubor facial que pode ser impactante, junto com desconforto abdominal, náusea, e vômito. Pessoas com essa variante genética (que não precisam ser necessariamente descentes de asiáticos) logo aprendem a não consumir bebidas alcoólicas.

O álcool também interage com medicamentos que fazem parte do tratamento para diabetes. O álcool pode causar baixa do açúcar no sangue (hipoglicemia) e pode também reagir com certos tipos de medicamentos para diabetes. Logo, é muito importante sempre discutir com o médico sobre o uso dos medicamentos.

O álcool, quando usado com responsabilidade por pessoas com diabetes que têm uma boa tolerância a ele, que entendem as interações e precauções em potencial, e que “apreciam com moderação”, pode dar mais prazer à vida.

Como disse Napoleão: “O vinho é inspirador e acrescenta muito à alegria de viver”

fonte:ADA – Associação Americana de Diabetes