Paulista supera diabetes com corrida e celebra sua 65a maratona em NY

Diagnosticado com a doença ainda na faculdade, Emerson Bisan percebeu que se sentia melhor ao correr e decidiu levar a descoberta a outras pessoas

Fonte: diabetesedesportes.com.br

Postado por Adim

Em novembro 03, 2015O paulista correu sua 65ª maratona

O paulista correu sua 65ª maratona (Foto: Luma Dantas)

Em 1995, quando cursava a faculdade de Educação Física, Emerson Bisan foi diagnosticado com diabetes. Ainda atordoado e cheio de dúvidas a respeito de como viveria a partir de então, percebeu que se sentia melhor nos dias em que corria. Decidiu que seu tratamento contaria com uma dose de endorfina proveniente do esporte e começou a treinar para a sua primeira maratona.

– Estava na faculdade e treinava meu pai, que perdeu 20kgs e estrearia na São Silvestre. Nesta época, fui diagnosticado com diabetes tipo 1. A gente sempre tem dúvidas de como será a vida daí pra frente. Eu percebi que ficava muito bem nos dias em que corria com ele, então resolvemos treinar juntos para nossa primeira maratona.

Um ano após a descoberta da doença, o paulista completou uma prova de 42km pela primeira vez. Impressionado com os benefícios da corrida, resolveu fazer de sua experiência mais do que uma lição de vida. Emerson dedicou sua carreira a ajudar pessoas diabéticas como ele.

– Hoje meu objetivo é incentivar, desmistificar e orientar a prática de atividade física entre os diabéticos. Sou treinador de uma assessoria de São Paulo que é o ponto de encontro dos corredores com diabetes e também sou educador em diabetes da ADJBrasil – conta.

Conheca Viva Zero

O que começou como uma medida para manter a doença sob controle acabou se tornando um vício. Neste domingo, a convite de um aluno, o paulista correu sua 65ª maratona. O local da comemoração não poderia ser melhor: Nova York.

André (esq) é aluno de Emerson e correu sua primeira maratona (Foto: Luma Dantas)

– Já tinha corrido a Maratona de Nova York em 2003, mas não  lembrava de como era difícil. Na época, a prova tinha 30 mil inscritos, quase metade do que teve este ano. Também não lembrava do apoio da população, foi muito especial, é praticamente um grito de gol de 42km, o público te empurra – observa.

Depois de cinco ultras e quatro maratonas em 2015, Emerson garante que seu calendário esportivo ainda não acabou. No próximo domingo, participará de uma prova pelo Dia Mundial do Diabetes. Serão 50km passando nos principais pontos turísticos de São Paulo com o intuito de orientar os diabéticos a respeito da prática de atividades físicas.

– É incontestável a importância da corrida na minha saúde, ela é parte importante no tratamento de diabetes. A corrida se tornou um remédio diário. Além disso, ela me proporcionou oportunidades inesquecíveis, como na Maratona de Nova York. É isso que me motiva a incentivar, desmitificar, e mostrar que é possível realizar qualquer sonho se a doença estiver bem controlada.

O site Diabete.Com.Br avisa: As informações contidas neste site não se destinam ou implica a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Todo o conteúdo, incluindo texto, gráficos, imagens e informações, contidos ou disponíveis através deste site são apenas para fins informativos gerais. As opiniões expressas aqui são as opiniões de escritores, colaboradores e comentaristas, e não são necessariamente aqueles de Diabete. Com.Br. Nunca desconsidere o conselho médico profissional ou demorem a procurar tratamento médico por causa de algo que tenha lido ou acessado através deste site.