Visitas ao dentista podem identificar diabetes

Ocorrência de perda dental e periodontite são fatores levados em conta

Fonte: yahoo.minhavida
POR :MINHA VIDA

Segundo estudo publicado no Journal of Dental Research, pesquisadores da Columbia Visitas ao dentista podem identificar diabetesUniversity College of Dental Medicine constataram que consultas odontológicas podem identificar indivíduos com diabetes ou pré-diabetes que desconhecem a sua condição.

Para este estudo, os pesquisadores recrutaram 601 pacientes que visitam uma clínica dentária em Northern Manhattan, Estados Unidos, cuja idade varia dos 40 anos de idade ou mais (entre brancos não-hispânicos) e 30 anos de idade ou mais (entre hispânicos ou não-branco). Nenhum deles havia recebido diagnóstico de diabetes ou pré-diabetes anteriormente.

Do número inicial, apenas 535 pacientes receberam um exame periodontal e uma picada no dedo, usados para detectar o mal, já que contavam com pelo menos um fator de risco adicional do diabetes (histórico familiar da doença, colesterol alto, hipertensão, sobrepeso ou obesidade. Os pacientes também passaram por um teste de glicose em jejum, que indica se um indivíduo tem diabetes ou pré-diabetes.

Os pesquisadores descobriram que, entre os participantes que passaram pelos exames, dois parâmetros – número de dentes perdidos e o percentual de bolsas periodontais (espaços entre os dentes e a gengiva encontrados em portadores de periodontite, povoados por bactérias que levam à doença) – foram eficazes na identificação de pacientes com pré-diabetes ou diabetes não diagnosticados.

Conheca Viva Zero

Entre os participantes que receberam o diagnóstico de diabetes ou pré-diabetes, a presença de 26% ou mais de bolsas periodontais (quando comparados à ocorrência considerada normal) ou quatro ou mais dentes faltando identificou corretamente 73% dos casos da doença. Junto aos exames que ajudam a identificar diabetes, os diagnósticos corretos passaram aos 92%.

Saúde da boca ligada à saúde do coração

Outras pesquisas também indicam que a periodontite pode estar associada ao desenvolvimento de doença cardiovascular. Uma explicação para essa associação é que as proteínas inflamatórias e as bactérias presentes no tecido periodontal penetram na corrente sanguínea, causando diversos efeitos no sistema cardiovascular. Um estudo publicado no periódico Circulation examinou a relação entre a presença de bactérias que sabidamente causam periodontite e o espessamento da parede dos  comumente observados em doenças cardíacas.

Depois de um exame de mais de 650 participantes, os pesquisadores concluíram que o aumento do nível de espessamento da parede dos vasos sanguíneos estava associado à presença das mesmas bactérias conhecidas como causadoras da periodontite.

Vários aspectos de seu estado de saúde devem ser considerados no momento da avaliação da situação do seu periodonto e da elaboração de planos para um tratamento abrangente. No caso de portadores de doença cardiovascular e pessoas com risco de desenvolver essa doença, os fatores críticos a serem considerados são a gravidade e duração da doença, a presença de outras enfermidades – como o diabetes – que afetam a doença cardiovascular e de fatores de risco em relação às doenças periodontais.

Seu dentista pode comunicar-se com seu médico para determinar o nível de cuidados, o tratamento e seu bem-estar geral.

O site Diabete.com.br avisa : As informações contidas neste site não se destinam ou implica a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Todo o conteúdo, incluindo texto, gráficos, imagens e informações, contidos ou disponíveis através deste site são apenas para fins informativos gerais. As opiniões expressas aqui são as opiniões de escritores, colaboradores e comentaristas, e não são necessariamente aqueles de Diabete. Com.Br. Nunca desconsidere o conselho médico profissional ou demorem a procurar tratamento médico por causa de algo que tenha lido ou acessado através deste site.