Apoio multiprofissional reduz A1C em crianças

Entrevista com a endocrinopediatra Jesselina Haber

Informação em conjunto com o fornecimento de insumos – como tiras para glicosímetros e insulinas – está produzindo bons resultados em Marília, cidade do interior de São Paulo. Um serviço de atendimento à pass4sure 070-158 criança com diabetes, idealizado e colocado em operação pela médica Jesselina Haber, há cerca de dez anos, reduziu a taxa de internação hospitalar e melhorou os resultados da hemoglobina glicada (A1C) dos pacientes.

A ideia de criar um atendimento especializado para as crianças ganhou outros entusiastas e teve o apoio inicial do Estado. Atualmente, o serviço tem o suporte da Faculdade de Medicina de Marília, instituição também de âmbito estadual.

crianças A1CA endocrinologista montou um Núcleo de Gestão Assistencial que oferece atendimento de nutricionista, psicóloga, enfermeiro e dentista, além de residentes da faculdade. A criança e os pais recebem informação sobre como lidar com o diabetes e, também, medicamentos e tiras para medir a glicemia. “No começo dispúnhamos apenas de insulina regular, mas conseguimos ampliar o leque e oferecer outros tipos de insulina também”, informa Jesselina.

Conheca Viva Zero

Hoje, há 275 crianças e adolescentes em atendimento e a médica comemora os resultados obtidos. “Nossos pacientes vinham da internação hospitalar, mas o boca a boca acabou atraindo mais pessoas, que agora chegam antes que haja necessidade de ir para o hospital”, explica a médica. A taxa de A1C das crianças mostra que o bom controle está sendo atingido: na média, tem ficado entre 7,5% e 8.5%, que ela considera um bom resultado para o padrão brasileiro.

A coordenadora do Programa de Hipertensão e Diabetes da região – que reúne 62 municípios -, Isabel Cristina Stéfano, acredita que educar em diabetes e utilizar as ferramentas adequadas para os cuidados é fundamental para o bom resultado no controle. “Tivemos queda no número de internações hospitalares em toda a região, entre outros motivos por causa de programas de educação em várias cidades, alguns dos quais foram implantados com o pass4sure 1Z0-043 auxílio da endocrinologista Jesselina”, afirma. Ela acrescenta que, entre as crianças atendidas no serviço de Marília, 54,76% apresentaram queda na taxa de A1C.

Fonte: www.diabetesnoscuidamos.com.br