Pesquisa revela que cirurgia bariátrica ajuda a controlar diabetes tipo 2

Estudo britânico mostrou vantagens da redução do estômago para o controle da glicemia, mas cirurgia não pode ser feita por qualquer pessoa.

Fonte: g1.globo.com/bom-dia-brasil
Edição do dia 04/11/2014
04/11/2014 10h25 – Atualizado em 04/11/2014 10h25

Há oito meses, a vendedora Selma Coppola viu a balança chegar aos 103kg. Junto com a obesidade, vieram também muitas complicações. Em março ela passou por uma redução de Pesquisa revela que cirurgia bariátrica ajuda a controlar diabetes tipo 2estômago. Não se livrou só do peso, mas também do diabetes tipo 2: “Eu tomava muitos remédios. O meu índice de diabetes era de 240, 280. Hoje em dia eu não tenho nada. O exame é normal”, diz.

O caso de Selma é um exemplo do que concluiu uma pesquisa publicada na revista científica The Lancet: pacientes que fizeram a cirurgia diminuíram em até 80% o risco do diabetes tipo 2, doença que dificulta o controle do açúcar no sangue e pode causar cegueira, amputação e danos ao sistema nervoso.

Conheca Viva Zero

O estudo britânico acompanhou dois grupos de pessoas obesas. Entre as 2.176 que passaram pela cirurgia foram registrados 38 casos de diabetes tipo 2. Já no grupo que não foi operado, que tinha a mesma quantidade de pacientes, 177 apresentaram a doença.

No ano passado, quase sete mil cirurgias bariátricas foram feitas pelo SUS. No Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, onde já foram realizadas 600 operações deste tipo nos últimos 15 anos, os médicos também constatam o que a pesquisa inglesa revelou: “Nós temos um índice geral de melhora de até 18% quando se faz tratamento clínico. Isso pula para em torno de 50% de todas as doenças (diabetes, pressão alta, colesterol aumentado), quando a gente faz a cirurgia”, diz Wilson Salgado Jr, coordenador de cirurgia bariátrica do HC.

O médico José Ernesto dos Santos explica como a redução do estômago ajuda no controle de outras doenças: “Muito antes de o paciente com obesidade mórbida atingir um peso desejável a glicemia dele já fica controlada por modificar a liberação de hormônios que controlam a deposição e o gasto de energia”, diz.

Apesar de o estudo mostrar uma redução na incidência de diabetes tipo 2, o Ministério da Saúde lembra que a redução de estômago não é recomendada para todos os pacientes.

O site Diabete.Com.Br avisa: As informações contidas neste site não se destinam ou implica a ser um substituto para aconselhamento médico profissional, diagnóstico ou tratamento. Todo o conteúdo, incluindo texto, gráficos, imagens e informações, contidos ou disponíveis através deste site são apenas para fins informativos gerais. As opiniões expressas aqui são as opiniões de escritores, colaboradores e comentaristas, e não são necessariamente aqueles de Diabete. Com.Br. Nunca desconsidere o conselho médico profissional ou demorem a procurar tratamento médico por causa de algo que tenha lido ou acessado através deste site.