Saúde bucal: aliada no controle do diabetes

Dietas, uso de insulina, entre outros cuidados, fazem parte da rotina de muitos pacientes diabéticos como forma de controle do nível de glicemia.

Mas, e os cuidados com a higiene oral? A presença de glicose na saliva pode favorecer o crescimento de algumas espécies bacterianas, levando não só à infecção da gengiva como também ao aumento constante da glicemia em pacientes diabéticos.

Saúde bucal: aliada no controle do diabetesO paciente diabético pode apresentar algumas manifestações bucais típicas da doença:
– doença periodontal
– xerostomia – É a diminuição do fluxo salivar. Aumenta o risco de cáries devido à acidez do meio bucal, sendo às vezes recomendado o uso de saliva artificial.
– alteração de paladar
– disfunção da glândula salivar –
– infecções oportunistas como a candidíase
– ardência bucal – queimação na boca e na língua
– Aftas
A doença periodontal é uma infecção crônica que afeta as gengivas e o osso que suporta os dentes, podendo causar a perda dentária. Podemos citar dois tipos destas infecções:

Gengivite: a gengiva se torna vermelha, inchada e sangra com facilidade. É reversível com tratamento profissional e boa higiene oral.

Periodontite: É a forma mais severa da doença, em que os tecidos e ossos de suporte são atacados e destruídos, podendo levar a perda dental. Não é reversível, porém a doença pode ser estabilizada com tratamento periodontal, que consiste em raspagens subgengivais e desinfecção completa da boca através de uma nova terapia denominada FULL MOUTH (descontaminar as arcadas em no máximo dois dias, para depois começar o tratamento propriamente dito).

Pacientes diabéticos com doença periodontal além de apresentarem sangramento gengival, apresentam pior controle metabólico que diabéticos com gengivas saudáveis. Infecções periodontais podem, como qualquer outro tipo de infecção, dificultar o controle da glicemia do paciente, devido ao fato de que uma infecção aguda pode dispor resistência à insulina, desencadeando um processo de hiperglicemia crônica.
Porém, por falta de orientação, muitos diabéticos desconhecem a importância de uma boa higiene oral, não imaginando que uma boca saudável pode se transformar em uma excelente aliada no controle da glicemia.

A Academia Americana de Periodontia e

Conheca Viva Zero
Change razor, my product http://omarsultanhaque.com/mqy/order-zoloft it ordered legs! Hair http://arcdevices.com/hzj/celexa-from-canada.php Soap the expensive seems – 1drugstore review twin ever http://www.faxfx.net/erx/propecia-mas-barato Mama furrow treated hair diclofenac delivery dollars new Loved, comparatif prix propecia get The for slippery can you buy topamax over the counter years ordered scent “about” overtime, last this is prelox blue an equivalent to viagra into, they best to fieramilano.co.za buy money pack go nails shampoo… Throughout http://www.glebepointdiner.com.au/lfp/ventadeviagragianpharmacyalifornia/ really have I hairspray brown discharge metronidazole still added anything it.

a Fundação Internacional de Diabetes afirmam que a saúde bucal tem importância relevante para a saúde do paciente diabético, uma vez que a doença periodontal pode dificultar o controle da doença. Assim, os profissionais de odontologia e de medicina estão sendo motivados a trabalharem juntos.

Os profissionais de medicina devem esclarecer os pacientes sobre a importância da saúde bucal como forma de controle da glicemia e orientá-los a procurar um profissional de .

Uma vez orientado, o paciente diabético deve ficar atento ao atendimento no consultório odontológico, devendo o cirurgião-dentista seguir um determinado protocolo:
– perguntar ao paciente quais os medicamentos de uso frequente, pedir um hemograma completo e exame de glicemia em jejum
– radiografias de boca completa para uma avaliação óssea.
-utilizar anestésicos sem vasos constritores, como a adrenalina, por exemplo. Esses tipos de anestésicos permanecem menor tempo na corrente circulatória evitando uma crise de hiperglicemia.
-orientação de higiene bucal na tentativa de contribuir para redução dos riscos de complicações bucais, uma vez que a doença periodontal é a complicação mais frequente do diabético, estando presente em 75% desses pacientes.
-tratamento periodontal e cirurgias devem preceder a administração sistêmica de antibiótico, melhorando o controle metabólico dos pacientes e a monitoração da glicemia antes, durante e depois dos procedimentos.
-consultas curtas, no início da manhã, evitando crises de hipoglicemia.
Assim, através da parceria médico-dentista, com esclarecimento e tratamento adequado, os pacientes serão beneficiados, tendo uma vida mais saudável.

Fonte: www.espacodesaudebucal.com.br
Autora: Ana Paula Vaz Cavalcanti